NFC-e o que é?

NFC-e: O QUE É?

Atualizado em 26/02/2021
Por Pedro Mendonça

NFC-e: O QUE É?

Atualizado em 26/02/2021
Por Pedro Mendonça
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, comumente conhecida no mercado pela sigla NFC-e, é um documento fiscal que foi implementado em todo o país há pouco tempo, porém, respeitando as exigências e particularidades de cada Estado.

Pelo fato de ainda ser uma “novidade”, é muito comum que empreendedores e contadores ainda tenham dúvidas quanto seus processos. Mas, fique tranquilo. Esse texto irá te ajudar muito e esclarecer suas dúvidas!

Saber com clareza o que é a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica é muito importante para quem atua no setor do varejo, mesmo se tratando de um documento fiscal, após concretizar a venda será necessário imprimir o DANFE – NFC-e para o consumidor final.

De maneira objetiva, a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica – NFC-e pretende substituir o modelo de nota fiscal de venda ao consumidor, modelo 2, (impresso) por um digital, o que visa registrar, de maneira direta, registrar algumas vantagens, como por exemplo:

  • redução de custos com materiais físicos de impressão;
  • melhora a organização dos documentos fiscais (tanto para tomadas de decisão, como para apresentação as auditorias e fiscalizações);
  • combate à sonegação;
  • melhora do controle interno;
  • melhora do controle externo.

NFC-e e NF-e: principais diferenças

Tanto a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica e a Nota Fiscal Eletrônica, são documentos fiscais eletrônicos emitidos pela empresa para a SEFAZ – Secretaria da Fazenda. Ambas as notas também possuem visualização através do DANFE.

Entretanto, podemos afirmar que elas são diferentes em alguns pontos. A NFC-e é uma nota emitida para o consumidor final e tem como objetivo substituir a documentação fiscal que era gerada pelo RCF.

A NF-e, por sua vez, atende a operações de compra/venda, devolução/transferência, exportações e outras mais.

Uma diferença marcante: o DANFE da NFC-e é bem mais simples que o da NF-e.

Outra diferença sensível: a NF-e precisa de uma impressora fiscal, ou seja, um processo mais caro e trabalhoso. A NFC-e pode ser impressa em impressoras comuns, o que torna o processo mais simples e barato.

NFC-e: um documento para o consumidor

A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica – NFC-e, configura-se como um documento emitido para o consumidor.

Nesse sentido, a nota fiscal de consumidor eletrônica substitui o cupom fiscal e a nota fiscal de venda ao consumidor, conhecida como modelo 2, que são amplamente utilizadas pelas empresas de varejo.

Como emitir a NFC-e?

Tenha em mente uma informação muito importante: a nota fiscal de consumidor eletrônica é um documento fiscal 100% eletrônico.

A versão impressa, conhecida como DANFE – Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica, que é enviado juntos aos produtos vendidos e entregues aos clientes, é apenas um documento com algumas informações sintetizadas da nota fiscal, e não a nota fiscal propriamente dita.

Para emitir a NFC-e, são necessários alguns requisitos. São eles:

• um computador;

• um software de emissão da NFC-e;

• inscrição estadual;

• impressora (não precisa ser fiscal);

• estar credenciado na SEFAZ do seu Estado;

• certificado digital de CNPJ;

• CSC – Código de Segurança do Contribuinte.

Como dito no início desse texto, a NFC-e é um modelo de nota fiscal que foi recentemente implementado no Brasil, mas a maioria dos Estados já está em uma fase avançada de implantação. Verifique junto a SEFAZ do seu Estado.

Imprima a NFC-e em impressoras tradicionais

Um grande diferencial da NFC-e, que incide diretamente nas empresas que emitem essa nota, é que ela não necessita de um EFC – Equipamento de Cupom Fiscal, o que permite que seja impressa por uma impressora tradicional, que é bem mais barata.

Nesse modelo, o DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) pode ser impresso por impressoras tradicionais (não fiscais), o que facilita o processo e torna-o mais barato.

Vantagens da NFC-e

Uma vantagem já foi descrita anteriormente nesse texto: poder ser impressa em impressoras tradicionais, evitando gastos com impressoras fiscais.

A liberdade para expansão de PDV’s é uma outra vantagem importante. Com a NFC-e, quando houver uma expansão no número de checkouts, não será necessária a autorização do Fisco. Em resumo, o varejista, por exemplo, ganha liberdade e autonomia de investir sem os processos da Secretaria da Fazenda.

O acesso online que a NFC-e permite é outro diferencial, tanto para os lojistas como para os consumidores finais. O controle financeiro, utilizado como ferramenta gerencial ganha assertividade.

Armazenagem da NFC-e

É preciso armazenar a NFC-e pelo prazo de 5 anos.

Como se trata de um produto digital, é importante que você tenha esse documento salvo em uma pasta de arquivos segura.

Vale ressaltar: não salve apenas nos computadores corporativos! Aparelhos eletrônicos estão sujeitos a diversas situações que podem culminar na perda dos dados.

Exemplo: computadores perdem arquivos; pen-drives somem; e etc.

Tenha todos os documentos fiscais salvos na nuvem!

QR Code na NFC-e

O QR Code é mais um avanço tecnológico da NFC-e. Esse código é uma tecnologia inventada para agrupar/salvar uma determinada quantidade de caracteres.

Essa tecnologia está sendo amplamente utilizada em vários setores do mundo atual pela facilidade de acesso aos dados: muitas câmeras de smartphones leem esse código e direcionam para link na web, por exemplo.

Como se credenciar para emitir NFC-e?

Como dito anteriormente, a NFC-e é um documento regido por cada Estado da Federação, ou seja, isso significa que no que diz respeito a exigências e especificidades, depende da deliberação da SEFAZ de cada Estado.

Segue abaixo os links para cada Estado:

Abaixo, você confere a lista com o link para credenciamento em cada Sefaz:

• Acre (AC): https://www.sefaz.acre.gov.br/

• Alagoas (AL): http://www.sefaz.al.gov.br/

• Amapá (AP): www.sefaz.ap.gov.br

• Amazonas (AM): http://www.sefaz.am.gov.br/

• Bahia (BA): http://www.sefaz.ba.gov.br/

• Ceará (CE): https://www.sefaz.ce.gov.br/

• Distrito Federal (DF): www.fazenda.df.gov.br

• Espírito Santo (ES): https://internet.sefaz.es.gov.br/

• Goiás (GO): http://www.economia.go.gov.br/

• Maranhão (MA): http://sistemas.sefaz.ma.gov.br/sco/portal/

• Mato Grosso (MT): http://www5.sefaz.mt.gov.br/

• Mato Grosso do Sul (MS): http://www.sefaz.ms.gov.br/

• Minas Gerais (MG): www.fazenda.mg.gov.br

• Pará (PA): www.sefa.pa.gov.br

• Paraíba (PB): www.receita.pb.gov.br

• Paraná (PR): www.fazenda.pr.gov.br

• Pernambuco (PE): https://www.sefaz.pe.gov.br/

• Piauí (PI): https://www.sefaz.pi.gov.br/

• Rio de Janeiro (RJ): www.fazenda.rj.gov.br

• Rio Grande do Norte (RN): www.set.rn.gov.br

• Rio Grande do Sul (RS): www.fazenda.rs.gov.br

• Rondônia (RO): www.sefin.ro.gov.br

• Roraima (RR): https://www.sefaz.rr.gov.br/

• São Paulo (SP): portal.fazenda.sp.gov.br

• Sergipe (SE): http://www.sefaz.se.gov.br/

• Tocantins (TO): http://www.sefaz.to.gov.br/

Software de Emissão da NFC-e

Depois de ler todo esse artigo, você já entendeu os diferenciais da NFC-e e qual a importância de trabalhar com ela, correto?

Agora, para emitir esse documento fiscal que é mais barato e mais rápido, você precisará de um software emissor. O Know How, software de Gestão Comercial e Industrial da Principal Softwares é uma excelente opção para que você possa passar a emitir a NFC-e e transforme a gestão financeira e comercial da sua empresa numa máquina de vendas!

Ficou alguma dúvida? Nos mande uma mensagem!

Pedro Mendonça, aqui no Blog.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: NFC-e: O QUE É?.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Soluções para gestão e automação comercial para organizar as rotinas de faturamento